03
DEZEMBRO
2016

06:32
Compartilhar
Gestões municipais
Em: 30/11/2016 às 08:47h por Onofre Ribeiro
Em tempos de crises institucionais e uma busca por ética na gestão pública, o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso deu uma importante colaboração. Preparou a cartilha 'Contas públicas em final de mandato e em ano eleitoral'. São basicamente três abordagens, sendo a primeira sobre o que os agentes públicos não podem fazer durante o período de 2 de julho a 1º de janeiro de 2017; outro sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal, que trata das consequências para quem desrespeitar o limite com gasto com pessoal e, a terceira e última, que fala sobre transmissão de mandato. São orientações à equipe que está deixando o cargo e a que está chegando, pautadas na transparência e no interesse público, para evitar a descontinuidade das políticas públicas.Muito embora o TCE tenha conduzido as explicações técnicas a respeito, principalmente a problemática da condução dos últimos gestos da gestão que termina em dezembro, vale a pena assinalar alguns pontos fundamentais. De 1º. De julho a 1º. De janeiro de 2017 são vedadas ações como:

Nomear,... Leia mais
Compartilhar
Repercussão zero
Em: 28/11/2016 às 08:57h por Onofre Ribeiro
Na última quarta-feira escrevi neste espaço o artigo "O mundo e nós". Nele tratava das projeções da demanda de comida no mundo de hoje até 2050. Os números são de assombrar. Anotei os mais relevantes e coloquei-os dentro da vocação de Mato Grosso de grande produtor e futuramente de grande processador de alimentos. Reconhecido por todo o mundo. Confesso que esperava alguma repercussão. Principalmente por ter associado os desafios de alcançar a produção, que terá à educação o nosso grande desafio. Curioso. A repercussão foi absolutamente zero.
Não querendo pensar em alienação coletiva, acho por bem trazer outra vez os números da demanda mundial de comida , de energia e de água de hoje até o ano de 2050. Reproduzo trechos do artigo de quarta-feira: "Em 2050, daqui a 34 anos, portanto, a população mundial crescerá 31%, passando dos atuais 7,1 bilhões para 9,73 bilhões. Serão 6,34 bilhões urbanos e 3,21 bilhões rurais. Isso vai gerar uma demanda de 70% por alimentos, 80% de energia e 55% de água. Hoje o Brasil é responsável por 7% da produção... Leia mais
Compartilhar
Mais do que urubus e aviões
Em: 27/11/2016 às 08:57h por Onofre Ribeiro
A frase é velha, mas sempre atual: "Há algo no ar além de urubus e dos aviões de carreira". É do famoso Barão de Itararé, em 1895. Talvez sua rígida e provocante educação jesuíta tenham-no transformado em um cínico inigualável.
Sua frase está atualíssima. A eleição de Dilma Rousseff abriu a discussão sobre a questionada gestão petista. Disse uma coisa e fez outra. Antes disso, apenas uma quase morna operação político-policial chamada "Mensalão" balançara os alicerces petistas. Porém, as pedaladas de Dilma somaram-se a uma quase anônima "Operação Lava Jato", e o país viu nascer de um momento pro outro um princípio feroz de cidadania. O impeachment foi precedido de inesquecíveis protestos de rua com milhões de pessoas portando cartazes pedido ética , "fora Dilma", "fora Lula". Isso é extraordinário, porque um ano antes ambos eram ídolos populares.
O impeachment foi um processo pesado em cima de um Congresso Nacional absolutamente cínico e conivente com todas as falcatruas possíveis. Temendo "a voz rouca das ruas", percebido... Leia mais
Compartilhar
O mundo e nós
Em: 23/11/2016 às 08:17h por Onofre Ribeiro
Gostaria de usar neste artigo algumas informações muito provocadoras apresentados pelo agrônomo Otávio Celidônio, durante o seminário “CresceMT – Educação para um novo tempo”, na semana passada, em Cuiabá. São dados proféticos a respeito do aumento populacional no mundo até 2050 e das demandas por alimentos. O tema educação cabe no artigo por conta das necessidades de produção de nosso estado e dos recursos humanos hoje distantes dessas necessidades.Em 2050, daqui a 34 anos, portanto, a população mundial crescerá 31%, passando dos atuais 7,1 bilhões para 9,73 bilhões. Serão 6,34 bilhões urbanos e 3,21 bilhões rurais. Isso vai gerar uma demanda de 70% por alimentos, 80% de energia e 55% de água. Hoje o Brasil é responsável por 7% da produção mundial de grãos.Com o crescimento de 70% na demanda mundial  até 2050, o Brasil responderá por 40% de grãos, fibras e energia. É uma montanha de produção. Nesse caso o Brasil responderá por 18% da produção mundial, que será de 965 milhões de... Leia mais
Compartilhar
Violência jovem e cidadania – final
Em: 22/11/2016 às 08:19h por Onofre Ribeiro
Há um forte clima de violência pairando sobre o Brasil. Fruto especialmente da falta de educação na escola fundamental e de cidadania que a escola deveria ter ensinado à juventude trangressora da atualidade. Voltando ao começo da conversa. A migração das mães, com muitos filhos, pro mercado de trabalho a partir do começo da década de 1970, desestruturou as bases da família tradicional brasileira.
Uma vez fortalecido o mercado de trabalho a partir do "milagre econômico", apareceu um nova classe média mais estruturada que percebeu na educação o caminho pra ascensão social dos filhos continuar. Matriculou-os na escola particular. Aos poucos a excelente escola pública foi virando escola de pobres. Por isso mesmo abandonada porque a política não escuta os pobres. Gerações cresceram nesse ambiente de desestruturação familiar de escola ruim. As ruas acolheram o desajuste, que se incorporou à nova estrutura familiar. Na foram de violência. Por que? Esses jovens não receberam qualquer educação em casa e na escola que lhes ensinasse regras do convívio social. Tiraram-lhes a alma. A violência... Leia mais

Mais artigos


TCE - Um Novo Momento
TCE - Um Novo Momento
 
Receber Newsletter
 
 

Onofre Ribeiro
onofreribeiro@terra.com.br | facebook.com/onofreribeiro
msn: astro285@hotmail.com