19
FEVEREIRO
2018

23:22
Compartilhar
Luciano Huck e a nova política
Em: 18/02/2018 às 08:12h por Onofre Ribeiro
O apresentador de televisão Luciano Huck renunciou mais uma vez à ideia de candidatar-se a presidente da República nas eleições deste ano. Fez bem. Com ou sem qualidades ele seria triturado no liquidificador dos políticos. Velhos hábitos que lá atrás detonaram pretensos candidatos como Silvio Santos e Antonio Ermírio de Morais. Sacaram supostos crimes, erros, calúnias e suspeitas. Impiedosas! Morreram ali quando nada uma boa candidatura de Ermirio de Morais, o dono do grupo Votorantin.Hoje apareceu Luciano Huck como provável candidato a presidente da República. Vindo de meio completamente diferente seria uma candidatura absolutamente imprevisível. Porém, certamente renovadora! Não o conheço. Logo não saberia dizer se seria bom ou mau candidato e, quem sabe, presidente da República.Pelo menos uma coisa ele garantiria na eleição: novidades. Certamente os candidatos serão velhas marmitas requentadas como mesmo arroz com feijão e alguma carne de terceira pra animar o paladar.Uma declaração anterior de Huck me anima. Ele disse que poderia fazer muito mais correndo por fora como arregimentador de ideias para a política... Leia mais
Compartilhar
Conflito de gerações
Em: 15/02/2018 às 08:50h por Onofre Ribeiro
Há alguns meses ouvi no rádio do carro uma entrevista na rádio CBN com o escritor Sidnei Oliveira sobre o conflito de gerações dentro das empresas. Uma abordagem sintética do livro de mesmo nome que acabava de ser lançado. Entrei no youtube e localizei a entrevista de 34 minutos no blog do apresentador Milton Yung, da CBN. Ouvi-a, confesso, umas dez vezes.
Há duas semanas participei de uma conversa restrita entre pouquíssimas pessoas sobre o mesmo tema. As informações também convergentes. Há, de fato, um conflito de gerações muito evidente. E não se trata só de uma geração com a outra. São muitas gerações convivendo em diversos estágios. Pode-se dizer que do berço até os 80 anos convivem pelo menos 8 gerações. Nas décadas de 1960/1980 dizia-se que uma geração durava 50 anos. Hoje não passa de dez anos.
Numa empresa podem conviver até quatro gerações. Sidnei diz que a diferença que mais contradiz entre elas é a velocidade de ação. Enquanto o jovem toma uma decisão imediatamente diante do problema, o veterano, o... Leia mais
Compartilhar
Reminiscências políticas
Em: 14/02/2018 às 08:24h por Onofre Ribeiro
Estive muito próximo da primeira eleição pelo voto direto pra governador e senador em Mato Grosso em 1982. Até então as eleições para os cargos executivos eram decididas pelos votos dos parlamentares. Senador, pelo voto direto.
Em 1982 duas candidaturas a governador polarizavam a disputa. Pelo PDS, o partido oficial do governo militar, disputava com 36 anos o ex-deputado federal e ex-prefeito de Várzea Grande, Júlio Campos, conhecido como Julinho, com militância estudantil. Pelo PMDB, o Padre Raymundo Pombo. Professor salesiano do prestigiado Colégio São Gonçalo, de Cuiabá, representava a ética e a novidade na eleição. Amado por antigos estudantes do colégio, fora professor além de Júlio Campos, de outros líderes como o deputado Carlos Bezerra o maior nome do MDB em Mato Grosso.
Porém, caminhavam em paralelo alguns nomes muito importantes: o ex-embaixador do Brasil em Londres, Roberto Campos, e o ex-reitor e fundador da UFMT, o médico Gabriel Novis Neves. Médico parteiro conhecidíssimo em Cuiabá, representava a legítima alma cuiabana na disputa ao Senado. Mas disputava na mesma chapa de Roberto... Leia mais
Compartilhar
Conflito de gerações
Em: 13/02/2018 às 08:24h por Onofre Ribeiro
Há alguns meses ouvi no rádio do carro uma entrevista na rádio CBN com o escritor Sidnei Oliveira sobre o conflito de gerações dentro das empresas. Uma abordagem sintética do livro de mesmo nome que acabava de ser lançado. Entrei no youtube e localizei a entrevista de 34 minutos no blog do apresentador Milton Yung, da CBN. Ouvi-a, confesso, umas dez vezes.
Há duas semanas participei de uma conversa restrita entre pouquíssimas pessoas sobre o mesmo tema. As informações também convergentes. Há, de fato, um conflito de gerações muito evidente. E não se trata só de uma geração com a outra. São muitas gerações convivendo em diversos estágios. Pode-se dizer que do berço até os 80 anos convivem pelo menos 8 gerações. Nas décadas de 1960/1980 dizia-se que uma geração durava 50 anos. Hoje não passa de dez anos.
Numa empresa podem conviver até quatro gerações. Sidnei diz que a diferença que mais contradiz entre elas é a velocidade de ação. Enquanto o jovem toma uma decisão imediatamente diante do problema, o veterano, o... Leia mais
Compartilhar
Confetes, política e pés-de-ouvido
Em: 11/02/2018 às 08:01h por Onofre Ribeiro
A política eleitoral de 2018 em Mato Grosso há uma semana era completamente outra. Nesta semana avançou meses. O agravamento que representou o ponta pé inicial das reações, começou na fala do governador Pedro Taques na abertura dos trabalhos da Assembléia Legislativa. Lá ele propôs a criação de um fundo de estabilização fiscal com recursos contingenciados dos repasses dos poderes. E fez anúncios muitos sombrios das finanças do governo até março próximo. Ali ficou claro um descontrole fiscal.
Essa leitura do descontrole deu o start nas movimentações eleitorais. Imediatamente o ex-senador Jaime Campos deu declarações a respeito do seu apoio condicionado e o do DEM à reeleição do governador. O mesmo fez seu irmão Júlio Campos. O senador Blairo Maggi fez acenos de repensar o seu apoio tido como certo à reeleição. O ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes que vinha hipercauteloso abriu a guarda e deu declarações e críticas ao governador Pedro Taques, abrindo a possibilidade de ser candidato a governador. O conselheiro do TCE, Antonio Joaquim veio à... Leia mais

Mais artigos


Receber Newsletter
 
 

Onofre Ribeiro
onofreribeiro@terra.com.br | facebook.com/onofreribeiro
msn: astro285@hotmail.com