22
JANEIRO
2018

10:55
Compartilhar
Educação é transformadora
Em: 22/01/2018 às 08:23h por Onofre Ribeiro
No correr da semana passada tive a oportunidade de entrevistar no rádio em Cuiabá o secretário estadual de Educação de Mato Grosso, Marco Marrafon. Nosso tema acabou se fixando nas experiências de escolas em tempo integral que estão sendo gradualmente implantadas.
Neste artigo gostaria de ater-me aos reflexos desse tipo de escola na sociedade atual e na futura de nosso estado. A escola que mantenha o estudante no ambiente físico e pedagógico moderno, alimentado e motivado, é a única chance do Brasil reconstruir uma cidadania que já teve e se perdeu com a urbanização da última metade do século 20 e os 18 anos deste.
Misturo um pouco de experiência pessoal. Em 1961 começava em Brasília um modelo de educação apropriada ao projeto da nova capital do país no interior. Pretendia-se criar um polo novo de educação voltado ao humanismo que se desenvolveria nas décadas seguintes naquele quase deserto e isolado Centro-Oeste brasileiro. Tive duas raras felicidades dentro daquele projeto: estudar no colégio Elefante Branco e na Universidade de Brasília.
No Elefante Branco, tudo era diferente, a partir da arquitetura... Leia mais
Compartilhar
Eleições ou eleição em 2018
Em: 21/01/2018 às 08:31h por Onofre Ribeiro
Tenho estudado bastante os aspectos sociológicos que movem a cabeça dos eleitores brasileiros com vistas à eleição em 2018. É uma confusão só! Varia da indignação mais radical ao conservadorismo mais tradicional.
Os institutos de pesquisa, os sociólogos e os estudiosos da política estão perdidos na imensidão do deserto árido que a política brasileira construiu pra si mesma. Há um Brasil construído cuidadosamente desde sempre por homens que se intitularam líderes políticos e empresariais. Aos poucos misturaram as duas coisas e construíram um império particular sobre uma base corrompida.
Sem princípios, sem solidariedade e nem compaixão social. Muito menos patriótica. Entre soluços construiu-se o Brasil que, de repente, se depara com a sua desconstrução neste dolorido 2018.
Estudos e pesquisas ainda não revelam sintomas do que as urnas irão revelar. Depois, quem sabe, de 2019 em diante começará a construção do Brasil real?
Tomo a liberdade de exemplificar aqui em casa. O nosso querido e velho Mato Grosso foi construído em cima do capital... Leia mais
Compartilhar
Fim do terrorismo ambiental?
Em: 19/01/2018 às 08:42h por Onofre Ribeiro
A divulgação da NASA sobre o uso de terras para agricultura no mundo, redime o Brasil. Acusados por anos seguidos de desmatamentos e de proteção do mercado pelos países acima do Equador, o tema agora toma novas cores.
Até a queda do muro de Berlim, em 1989, e o fim da URSS, matando junto a Guerra Fria iniciada a partir de 1945, produzir comida no mundo era uma questão estratégica de altíssima segurança. Tratada como segurança alimentar, era privilégio dos países do hemisfério norte.
Era importante preservar as regiões de futura produção pensando nisso. A grande pressão ambiental sobre o Brasil começou a parti da Conferência Mundial do Meio Ambiente de Estocolmo, em 1972, mas seu pano de fundo era geopolítico. Passados esses anos todos depois do fim da Guerra Fria, o mundo usou as tecnologias militares pra evolução tecnológica comercial. A economia primária e secundária dos anos 1980, evoluiu para quinta onda da economia, baseada em princípios completamente modernos.
Pensa-se hoje em inteligência artificial como matriz de todos os processos econômicos. Melhor então produzir insumos... Leia mais
Compartilhar
Ainda o ambiental
Em: 18/01/2018 às 08:28h por Onofre Ribeiro
A mudança de postura da Agência Espacial dos EUA – NASA, a respeito da ocupação de solos no mundo pela agricultura, nos sugere uma série de reflexões.
A partir da Conferência Mundial do Meio Ambiente de Estocolmo, em 1972, as questões ambientais vieram à tona. Até então o mundo nunca tratara do tema como agenda nacional ou mundial. Por detrás as preocupações não eram tão ambientais. Eram de natureza geopolítica ou econômicas ligadas à segurança alimentar, principalmente dos EUA.
Bom lembrar que o mundo vivia o auge da Guerra Fria, iniciada a partir do fim da segunda guerra mundial. EUA e URSS disputavam palmo a palmo territórios políticos no mundo. Do ponto der vista dos EUA, diante das incertezas da guerra fria e de uma possível expansão russa nas Américas, no Sul da Ásia e no Oriente Médio, era preciso preservar territórios ligados à produção de alimentos, navegação comercial e de petróleo.
O Brasil entrava nessa geopolítica como território de preservação do interesse dos EUA e de países europeus, pensando... Leia mais
Compartilhar
Sinais e cenários
Em: 17/01/2018 às 07:21h por Onofre Ribeiro
Em política nem sempre 2 mais 2 precisam ser 4. Depende do resultado que se quer. Em períodos anteriores às eleições quando os arranjos estão sendo feitos, o resultado vem mais dos sinais do que da lógica matemática.
Nesta semana o ministro Blairo Maggi, que detém uma das três vagas de senador pelo estado, deu uma declaração que precisa ser analisada como um sinal. Ele diz que o governador Pedro Taques precisa conversar mais pra obter unidade em seu entorno. E que não há porque o grupo que o apoia quebrar a unidade. Bom lembrar: Blairo Maggi raramente faz declarações no dia-a-dia. E quando fala é franco. Não costuma fazer rodeios. O que ele disse, então?
Ele é franco candidato à reeleição como senador. Deseja Pedro Taques como candidato a governador. A partir daí, segundo a sua cabeça, começa a montagem dos interesses eleitorais de 2018 no estado. Como ficam outros nomes próximos com peso eleitoral como Mauro Mendes e Jaime Campos? Pela tese de Blairo, eles serão acomodados a seguir depois de resolvidos os três cargos majoritários que serão disputados: o de governador... Leia mais

Mais artigos


Receber Newsletter
 
 

Onofre Ribeiro
onofreribeiro@terra.com.br | facebook.com/onofreribeiro
msn: astro285@hotmail.com